Em 6 dias, operação em MT prende 29 pessoas por crimes ambientais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO
6 de outubro de 2015
Greve na Petrobrás afeta refinarias e já preocupa governo e donos de postos
6 de novembro de 2015

Em 6 dias, operação em MT prende 29 pessoas por crimes ambientais

Compartilhar:

Portal G1

Vinte e nove pessoas foram presas por crimes ambientais durante a Operação Temática de Combate aos Crimes Ambientais (Otecca), realizada pela Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso, de 21 a 25 de outubro. A operação também prendeu mais oito pessoas por crimes diversos, como embriaguez ao volante.

Ao todo, foram apreendidos cerca de 671 metros cúbicos de madeira durante 17 ocorrências em Cuiabá (237,76 m³), Primavera do Leste (150,72 m³), Sorriso (110 m³), Várzea Grande (96,25 m³) e Rondonópolis (76,59 m³). Foram ainda apreendidos 34,5 m³ de carvão em Cuiabá.

Aves

A operação apreendeu ainda 20 aves em três abordagens, nas quais três homens acabaram presos. O primeiro caso de apreensão de aves ocorreu no dia 23, às 18h30, na BR-362 em Rondonópolis. Uma equipe da PRF abordou um ônibus que fazia a linha Aripuanã, a 976 km de Cuiabá, a Brasília (DF). Durante conversa com os passageiros, os policiais desconfiaram de um homem de 37 anos e encontraram em seus pertences, acima do assento, duas caixas contendo nove pássaros curiós.

Algumas anilhas – anel de metal usado para identificação de pássaros em cativeiro – apresentavam sinais de adulteração e não estavam cobertas pela licença ambiental.

Dentro das bagagens do suspeito, os policiais encontraram ainda outras anilhas de modelo antigo que não poderiam estar em circulação. Segundo o suspeito, ele teria saído do Acre com os pássaros e iria para Goiânia. Os animais estavam em condições de maus tratos e eram transportados em gaiolas dentro de bolsas. A ocorrência foi encaminhada à Polícia Federal e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Já no domingo (25), por meio de uma denúncia, uma equipe da PRF foi até a residência de um criador ilegal de pássaros, de 32 anos, em Nossa Senhora do Livramento, a 42 km de Cuiabá, e localizou uma gaiola com pássaros no quintal.

Os policiais solicitaram a ele a identificação e autorização do órgão ambiental para criação das aves. No entanto, os pássaros, a quantidade e o número de anilhas não eram os mesmos descritos na identificação apresentada. O suspeito foi encaminhado à Polícia Judiciária Civil e dez pássaros curiós foram encaminhados ao Batalhão da Polícia Ambiental de Várzea Grande.

O terceiro crime ocorreu na manhã desta segunda-feira (26) na BR-070, em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, quando um papagaio foi apreendido pela polícia.

Fraude em líquido automotivo

Nesta operação, a PRF passou também a fiscalizar a presença de Arla 32 (Agente Redutor Líquido Automotivo), obrigatório em caminhões (diesel) fabricados a partir de 2012. O índice de ureia presente no Arla deve ser 32,5% de ureia pura e água desmineralizada, que pode ser vista através do refratômetro.

Foram abordados 32 veículos em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Primavera do Leste, sendo que oito estavam irregulares, com o Arla adulterado (índice de pureza abaixo do que prevê a legislação) ou com o fusível que faz funcionar o sistema fraudado.

A adulteração do Arla e a fraude no fusível são considerados crimes ambientais. Nesses casos, os caminhões são apreendidos e os condutores encaminhados à Delegacia de Polícia Civil do Meio Ambiente. A multa varia de R$ 1 mil a R$ 10 mil.

Fale conosco
X