Comunicado: Etanol Anidro, que é adicionado à gasolina, se mantém com preço estável

Petrobras baixa os preços nas refinarias, mas consumidor mal percebe
6 de fevereiro de 2020
Foto: Divulgação Internet
Gasolina ficaria 44% mais barata se proposta de zerar tributo fosse cumprida
6 de fevereiro de 2020

Comunicado: Etanol Anidro, que é adicionado à gasolina, se mantém com preço estável

Compartilhar:

Em meio ao embate travado entre o governo federal e estados sobre os impostos incidentes sobre os combustíveis, o preço da gasolina e do diesel sofreram quatro quedas seguidas nesse início de 2020.

A gasolina A, que é comercializada pela refinaria para as distribuidoras, já acumula redução de quase 12%, enquanto isso a redução no diesel alcança 14,5%.

Apesar da baixa, não apenas revendedores catarinenses, mas empresários de todo Brasil tem relatado que não estão recebendo a redução na mesma proporção de suas distribuidoras. Das três reduções ocorridas em janeiro, as principais companhias teriam repassado apenas parte da última, ocorrida no dia 31 de janeiro.

Mesmo assim, o baixo repasse nem chegou a ser sentido, visto que no dia 1º de fevereiro os novos valores de base para cobrança do ICMS em Santa Catarina sofreram aumento.

Aliado a isso, as principais distribuidoras de combustíveis alegam que uma maior redução não pode ser repassada, aos postos, devido um possível aumento no valor do etanol anidro, que está na entressafra e é adicionado à gasolina numa proporção de 27%.

Porém o site do Centro de Estudos Avançados em Economia (Cepea/Esalq) da USP, que acompanha as variações de preços de diversos produtos, entre eles o etanol anidro, mostra que o preço do produto nas usinas se mantêm estável desde a primeira semana de janeiro, custando em média R$ 2,25 o litro.

O SINDIPETRO/SC acompanha diariamente as variações dos preços dos combustíveis nas refinarias e lembra que os postos revendedores não compram nenhum tipo de produto diretamente da Petrobras, o que faz com que os preços dos postos fiquem ligados aos das companhias distribuidoras, ou seja, os revendedores somente conseguirão repassar as alterações se também as receberem.

O SINDIPETRO/SC informa ainda, que o comércio de combustíveis é pautado pela livre concorrência e cabe a cada posto revendedor decidir se irá repassar ou não os aumentos ou reduções ao consumidor, tendo como base sua estrutura de custos.

Fale conosco
X