Liderança

O comodato de tanques e bombas
8 de agosto de 2014
Canaletas de contenção
5 de dezembro de 2014

Liderança

Compartilhar:

 

LOGO SEGS

Por Claudia Regina Weber Almada

 

De acordo com Resende (2004, p.65):

{…} “necessidade de aumentar a capacitação dos gestores relativamente às suas funções e papeis, e de valorizar e prestigiar sua atuação acrescenta a necessidade de serem criadas con­dições ambientais, organizacionais e instru­mentais para que os gestores de todos os níveis possam ter a melhor performance possível.”

 

 

O primeiro critério do Sistema de Excelência em Gestão Sindical, avalia o sistema de liderança da organização e comprometimento pessoal dos membros da Direção no estabelecimento, através da disseminação e atualização da missão, visão e valores organizacionais que promovam a cultura da excelência, considerando as necessidades de todas as partes interessadas. Também inclui como é analisado o desempenho global da organização e como são implementadas as práticas voltadas para assegurar a consolidação do aprendizado organizacional.

   Com a globalização, a formação e a manutenção de equipes comprometidas e motivadas se tornou um desafio constante para as organizações. Portanto, a equipe precisa sentir-se como parte do negócio e entender a importância do seu trabalho para alcançar a superação de metas, sendo esse um papel primordial esperado da liderança, pois o termo “comprometimento” deixou, no mundo corporativo de mercado, de ser apenas uma simples palavra e passou a ser uma fundamental chave para o sucesso e reconhecimento de um líder. Não basta às organizações fornecerem ótimas recompensas para a equipe, se essa equipe não for liderada com atitudes positivas como: ética, respeito e reconhecimento das características e das necessidades individuais. O sucesso da organização depende de pessoas comprometidas com a missão e seus objetivos estratégicos.  

parcerias_soc

   Os gestores são pessoas chave que contribuem com a disseminação desses objetivos e as empresas precisam de gestores que possuam não somente conhecimentos técnicos do negócio, mas todos os que foram adquiridos e aprimorados através de outras experiências durante a vida e também através de subsídios teóricos, pela troca de conhecimentos no ambiente de trabalho, valores e habilidades adquiridas com a família e formação. Cada pessoa é um ser humano único, sistêmico, com personalidade, características, habilidades, atitudes e conhecimentos diferentes dos demais. Por isso, é essencial que existam competências gerenciais básicas como: liderança, persuasão, trabalho em equipe, criatividade, tomada de decisão, planejamento e organização.

   Pode ser observado atualmente que o foco dos lideres está em desenvolver atitudes de como agir, indo de encontro em como desenvolver qualidades, caráter, valores, coragem e princípios organizacionais. Desta forma cabe ao gestor ter clareza quanto aos caminhos que almeja construir junto aos membros da equipe, criando condições para a participação de todos no trabalho de forma ampla e efetiva tanto na tomada de decisão quanto na organização do trabalho a ser executado. O papel do líder e seu estilo de liderança são fundamentais para desenvolver e influenciar o clima organizacional, contribuir para a motivação da equipe, o comprometimento dos funcionários, a confiança na empresa, a segurança e o sentimento de valorização do funcionário conquistado através de respeito e credibilidade.

   A principal ferramenta da gestão de pessoas é o aprendizado contínuo, que direciona o líder para o aprendizado organizacional, ou seja, é preciso que ele desenvolva a capacidade de promover educação, desenvolvimento com serviço de alta qualidade e dar abertura para a transmissão de informações, tanto no ambiente interno quanto no ambiente externo, de maneira a permitir a participação dos colaboradores na tomada de decisões atuando como educador, negociador, incentivador e coordenador. Entretanto, não é sempre que o líder irá se deparar com uma equipe voluntariamente motivada. Muitas vezes, ele precisa saber criar um ambiente no qual o trabalhador possa despertar o seu potencial motivacional. É certo que esta tarefa é muito mais difícil do que apenas manter o trabalhador motivado. Por isso, é preciso conhecer as ferramentas de gestão de pessoas que poderão auxiliar o líder na tomada de decisões em relação ao aproveitamento e valorização dos talentos que integram as equipes de trabalho. Todo esforço no sentido de não desmotivar um trabalhador é fundamental no processo de liderança.

   Uma organização que deseja crescer de forma perene e sistêmica, precisa exercitar a liderança diariamente, pois o líder tem um papel fundamental, propagando a motivação dos que estão ao redor, tendo a necessidade de conhecimentos relevantes e também do conhecimento de conceitos sobre inteligência emocional para o desenvolvimento do plano estratégico adequado e realizável, e a comunicação. Neste sentido, permite a integração de todas as partes do processo, e a partir dela valores e conceitos de ética serão disseminados, gerando o engajamento de colaboradores e a estruturação de práticas de gestão e das condições necessárias à busca da excelência.

X