Petrobras fez provisão de R$ 353 milhões para acordos, diz Parente

Estatal criada para administrar pré-sal terá mudança de perfil
11 de novembro de 2016
Dono da rede Ipiranga deve anunciar compra da Liquigás ainda esta semana
17 de novembro de 2016

Petrobras fez provisão de R$ 353 milhões para acordos, diz Parente

Compartilhar:

Revista Portos e Navios

O presidente da Petrobras, Pedro Parente afirmou que a Petrobras já fez provisão de R$ 353 milhões para pagar acordos com investidores individuais e ainda enfrenta uma disputa com uma ação coletiva nas cortes nova-iorquinas, como resultado do escândalo de corrupção na estatal apurado pela Operação Lava-Jato.

Parente deu as declarações nesta terça-feira em Nova York, onde participou de um evento do Bradesco BBI.

“A questão é: como penalizar a vítima desse processo? É isso que estamos tentando convencer as cortes aqui no Estados Unidos”, resumiu Parente durante o evento. “É importante considerar que a Petrobras foi vítima. A Enron se beneficiou. Outras companhias se beneficiaram de contratos obtidos com propinas. Mas a Petrobras não se beneficiou de maneira nenhuma”, afirmou ele fazendo um paralelo com a companhia americana envolvida em escândalo de corrupção na década passada.

Segundo ele, a estatal foi vítima de “uma gangue” que foi formada por poucos executivos da companhia e muitos membros de fora.

Parente disse ainda que os advogados da Petrobras foram muito bem nas últimas audiências realizadas para discutir o assunto. “Ainda não tivemos uma decisão final, mas o nosso caso foi aceito e estamos na fase de audiências. De acordo com nossos advogados, fomos bem nesse estágio.”

O presidente da companhia disse que o caso não deve ser decidido em dois ou três meses. “Teremos que esperar, mas temos o bom direito do nosso lado, pois fomos vítima.”

Parente enfatizou ainda que foram realizadas várias mudanças na área de governança da estatal. “Hoje, não é mais possível ter uma decisão para contratar uma empresa por apenas uma pessoa. É preciso pelo menos cinco comitês que concordem, que entendam que (um negócio) é do interesse da empresa. Nós aperfeiçoamos o nosso controle interno. A companhia mudou muito em termos de controle interno e governança.”

Para ele, o aumento no combate à corrupção no país é positivo porque as pessoas e empresas sabem que podem ser punidas caso em caso de irregularidades.

Parente ressaltou que a estatal passa por um processo de recuperação. Segundo ele, uma série de mudanças estão sendo realizadas e os resultados vão começar a aparecer em breve. “Reconstruir a credibilidade leva tempo”, enfatizou. “A companhia implementou uma série de medidas para melhorar os controles internos e de governança.”

Fale conosco
X