Petróleo fecha em queda após AIE reportar aumento da produção da Opep

Shell prevê investir US$ 10 bi no Brasil
10 de novembro de 2016
Etanol hidratado cai 0,81% e anidro sobe 0,28% nas usinas paulistas
16 de novembro de 2016

Petróleo fecha em queda após AIE reportar aumento da produção da Opep

Compartilhar:

Fonte: Jornal do Comércio

11/11/2016 – Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda pela primeira vez em quatro sessões, nesta quinta-feira, 10, após dados mostrarem que a produção dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) bateu recorde em outubro, poucas semanas antes da reunião do cartel para completar um plano para reduzir a produção.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para dezembro fechou em queda de US$ 0,65 (1,34%), a US$ 44,66 por barril. Na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres, o Brent para dezembro caiu US$ 0,52 (1,12%), a US$ 45,84 por barril.
Os números no relatório mensal do mercado de petróleo da Agência Internacional de Energia (AIE) mostraram que a Opep extraiu 33,83 milhões de barris por dia, tornando a escala de corte de produção necessária para estabilizar os preços mais desafiadora. A Opep deve se reunir em 30 de novembro para a provar o plano que limita a produção do grupo em 33 milhões de barris diários. Mas os traders têm vendido nas últimas semanas, ao passo em que a produção aumentava, apesar das promessas de corte.
Mesmo que um acordo seja assinado, a aplicação de cotas individuais de produção pode ser fraca. Com muitos produtores importantes extraindo perto da capacidade máxima, um congelamento da produção a esses níveis não ajudaria a diminuir os excedentes, de acordo com analistas.
“Eles estão tentando vir com um acordo, mas estão produzindo mais petróleo do que jamais fizeram”, disse Mark Waggoner, presidente da corretora Excel Futures. “Não faz nenhum sentido pra mim.”
A vitória de Donald Trump na eleição presidencial americana também pode levar a um recuo dos preços de petróleo, dado seu apoio à produção doméstica. O presidente eleito foi favorável a planos para suspender restrições nas reservas de energia, aprovar o oleoduto Keystone XL e cancelar bilhões em verba para programas de combate ao aquecimento global.
A produção americana já apresenta uma tendência de alta, com os produtores ansiosos para capturar os preços ascendentes. A AIE espera que a produção americana chegue a 8,84 milhões de barris diários neste ano e a 8,73 milhões de barris diários no próximo ano, uma alta na comparação com sua estimativa anterior, de 8,72 milhões de barris em 2016 e 8,59 milhões de barris no próximo ano.

 

Fale conosco
X