Poços de monitoramento

Dezembro 2014 / Janeiro 2015
15 de maio de 2015
A proteção da livre concorrência no Brasil
15 de junho de 2015

Poços de monitoramento

Compartilhar:

Luiz Falat – Gerente da Briopreserve

 

Os poços de monitoramento tem por objetivo maior a realização do controle das águas subterrâneas, demonstrando através de análises laboratoriais se as mesmas estão livres de contaminantes decorrentes da atividade exercidas pelos pontos de revenda.1485

Os requisitos para sua instalação estão descritos junto a ABNT NBR 15495-1:2007 Versão Corrigida 2:2009, no entanto, chamamos a atenção dos revendedores, a fim de observar o serviço prestado por empresas do ramo. Neste sentido, alguns critérios são de suma importância, tais como o aprofundamento do elemento filtrante em relação ao nível do lençol freático, a instalação da tubulação adequada, inserção de pré-filtro na base do poço, a utilização de materiais livres de chumbo, a utilização de bentonita para selar a entrada superficial do poço, a inserção de concreto para acabamento final, o desenvolvimento do poço, etc.

Em nossa área de atuação, as normativas vigentes trazem uma divergência quanto ao número de poços a serem instalados. Especificamente em Santa Catarina, a quantidade mínima é determinada junto a IN-01, sendo ela de quatro poços de monitoramento. Um a montante, e três a jusante das possíveis fontes poluidoras.

Fontes poluidoras são todos aqueles mecanismos ou equipamentos capazes de promover a contaminação de seu subsolo, portanto, pista de abastecimento e descarga de combustíveis, tanques de óleo queimado, filtros de diesel, reservatórios, caixas separadoras, trocas de óleo, lubrificações e rampas, todos eles deverão ser contemplados no monitoramento.

Cuidado! Se a empresa contratada instalar os quatro poços ao redor da pista de abastecimento, tal disposição não atende a legislação em vigor, uma vez que não contempla todas as possíveis fontes de contaminação.

A amostragem pode ocorrer através da utilização de bailer, ou de outros métodos de coleta (baixa vazão), porém, é de suma importância à realização prévia da purga (esgotamento da água estagnada junto ao poço), bem como da utilização do bailer uma única vez (um para cada poço). Comumente algumas empresas reutilizam este material, bem como, deixam de executar a purga junto aos poços a serem amostrados.

O acondicionamento das amostras é de extrema importância, devendo ser utilizados vidros esterilizados, e as amostras mantidas em baixas temperaturas até a entrega ao laboratório.

A ocorrência da contaminação junto aos poços de monitoramento deverá ser investigada de imediato, bem como comunicada ao órgão ambiental, conforme estabelecido pela Lei de Crimes Ambientais. A imediata investigação possibilita uma resposta mais eficaz e financeiramente mais viável, uma vez que a pluma de contaminantes não expandirá demasiadamente.

É de extrema importância a manutenção deste tipo de equipamento, promovendo temporariamente a revisão das tampas de acesso aos mesmos (devem estar estanques), retirada de detritos (areia, barro) dos locais de acesso, retirada das águas ali depositadas, e observação da integridade física dos mesmos. A manutenção dos mesmos é imprescindível, uma vez que permite o acesso direto de contaminantes ao lençol freático.

Observações às revendas localizadas no Estado de SC:

1. Atualmente, após a emissão da revisão da IN-01, a FATMA vem acatando somente análises laboratoriais provenientes de laboratórios acreditados;

2. Ao efetuar a sondagem para instalação de poços em uma determinada revenda, deve-se atingir o lençol freático. Nos casos em que não for detectado o lençol freático até a profundidade de 15 metros, deverá ser efetuado parecer por geólogo responsável, atestando tal situação. Não há necessidade de efetuar quatro sondagens de 15 metros – fique atento a isso. Posteriormente, deverá a revenda efetuar amostragens de solo, representativas das possíveis fontes de contaminação, uma vez a cada quatro anos.

Por trata-se de assunto extenso, e criterioso, colocamo-nos a sua inteira disposição para os esclarecimentos que se fizerem necessários, através dos seguintes contatos:

Fone: (041) 3621-0550/9971-4791

E-mail: gerencia@biopreserve.com.br

Fale conosco
X