SINDIPETRO/SC acompanha projetos que impõem mais obrigações aos revendedores

Diesel chega mais caro aos postos de combustíveis
17 de agosto de 2018
Senadores aprovam venda direta de etanol das usinas para postos de combustível
17 de agosto de 2018

SINDIPETRO/SC acompanha projetos que impõem mais obrigações aos revendedores

Compartilhar:

O setor de combustíveis é um dos mais fiscalizados do Brasil, constantemente surgem novas determinações e regras que o empresário deve seguir para manter seu posto em funcionamento. O setor também é alvo constante de projetos desenvolvidos nos gabinetes de vereadores, deputados e senadores.

As obrigações poderiam ser ainda maiores se não fosse o acompanhamento que o SINDIPETRO/SC e a Fecombustíveis (Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes) fazem em âmbito Municipal, Estadual e Federal.

Em Santa Catarina, o SINDIPETRO/SC acompanha a entrada de projetos que impactam no setor em diferentes Câmaras de Vereadores e também na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. O sindicato mantém um diálogo aberto com vereadores e deputados estaduais tentando mostrar que a determinação pode impactar negativamente para o revendedor.

Diversos projetos propõem obrigatoriedades impossíveis de cumprir ou que vão contra as regras estabelecidas pelas ANP (agência de fiscalização). Um exemplo disso é o projeto que obrigada os postos informarem se a gasolina vendida é formulada ou refinada, lei que já existe no Estado e continua ou já passou por discussão em diversas câmaras de vereadores entre elas Joinville, Araranguá e Mafra, e é impossível de ser cumprida como a própria ANP destaca em seu site.

Outros textos determinam a exibição, nos postos de combustíveis, de informativo aos consumidores sobre o percentual da diferença entre os preços de gasolina e do etanol; E proíbem a venda de bebidas alcoólicas em lojas de conveniência entre meia noite e 6 horas.

Federação acompanha projetos na esfera federal

Quando se trata da Câmara dos Deputados e Senado, em Brasília, o acompanhamento do que entra nas pautas de discussões é feita pela Fecombustíveis, entidade da qual o SINDIPETRO/SC é filiado, que mantém um grupo exclusivo por analisar os projetos e defender o interesse dos revendedores de combustíveis de todo Brasil.

Os projetos são inúmeros e alguns não levam em consideração a real situação do setor. Um exemplo é o texto elaborado pelo deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB) que se aprovado, obrigada os postos de combustíveis a vender gasolina aditiva pelo preço da comum na falta deste. O projeto não leva em conta a diferença do valor entre ambos e pode acarretar em prejuízos aos empresários.

Outro projeto, de autoria do deputado Márcio Marinho (PRB-BA) torna obrigatório, se aprovado, a inclusão da placa do veículo no cupom fiscal emitido pelo posto. A determinação além de desnecessária acarretará em mais demora no atendimento ao cliente no momento do pagamento. Já o deputado Cleber Verde (PRB-MA) obriga que os estabelecimentos comerciais mantenham vigilantes em seus estacionamentos, a medida transfere a responsabilidade do Estado aos empresários.

O acompanhamento dos projetos é semanal e é feito pela Fecombustíveis em parcerias com outras entidades, que procuram apresentar diretamente aos autores ou durante as discussões das comissões a impossibilidade e as dificuldades que o setor encontrará para cumprir as leis, se aprovadas.

Fale conosco
X