SINDIPETRO/SC tira dúvidas com profissionais do Cerest

BC vai liberar pagamentos em tempo real entre contas e cartões
19 de abril de 2018
Sucesso de inscritos na última edição, SINDIPETRO/SC realiza CURSO DE LUBRIFICADOR, em maio
3 de maio de 2018

SINDIPETRO/SC tira dúvidas com profissionais do Cerest

Compartilhar:

Uma das preocupações do SINDIPETRO/SC é disponibilizar aos associados informações precisas e corretas, evitando que os postos revendedores ligados à entidade sejam notificados ou autuados.  Por isso, o sindicato procura manter o bom relacionamento e um diálogo aberto com os órgãos fiscalizadores.

Dentro dessa metodologia, na segunda quinzena de abril,  representantes do SINDIPETRO/SC estiveram no Cerest (Centro de Referência de Saúde do Trabalhador) Regional de Joinville, para tratar sobre as normas que garantem à segurança do trabalhador e consequentemente do posto de combustível.

O presidente Luiz Antonio Amin, a engenheira ambiental e de segurança do trabalho da Ecoprotech, parceira do sindicato, Daniela Fachini, a analista financeira Pamela Bento e o assessor de campo Agnaldo Correia, ambos do SINDIPETRO/SC, participaram da conversa com a técnica de segurança do trabalho, Flávia Rocha, a terapeuta ocupacional, Leila Cristine Moraes Mautone e a fonoaudióloga Aline Gomes de França, do Cerest.

Orientação e segurança

O Cerest atua nas cidades de Joinville, Itapoá, Garuva, São Francisco do Sul, Araquari, Jaraguá do Sul, Guaramirim, Corupá, Massaranduba, Schroeder, Barra Velha, São João do Itaperiú e Balneário Barra do Sul, e, tem por finalidade desenvolver ações de promoção à saúde e segurança dos trabalhadores e de vigilância nos ambientes e processos de trabalho, orientando empregados e empregadores sobre os itens que devem ser cumpridos para garantir a saúde e segurança dos trabalhadores e também do empreendimento.

As profissionais relataram ao SINDIPETRO/SC os itens que normalmente são encontrados em desacordos nos postos de combustíveis e as orientações para os revendedores, são eles:

– FISPQ (Ficha de informações de segurança de produtos químicos) e procedimentos operacionais:

Deixar a Fispq e os procedimentos à disposição dos funcionários. A engenheira Daniela Fachini, orienta para que uma cópia do documento seja deixada também no local de almoço ou descanso.

– EPIs:

Orientar os trabalhadores sobre o uso correto dos EPI’s e elaborar um documento para o colaborador assinar, declarando que recebeu as orientações e os equipamentos.

– Uso de estopas:

Conforme a Portaria 1.109 (Benzeno) o uso de estopas e flanelas não é mais permitido durante o abastecimento, é recomendável o uso de toalha de papel absorvente. Em casos específicos, como na verificação de óleo e água do radiador, o objeto pode ser utilizado, visto a possibilidade de acarretar em queimaduras.

– Documentação: 

A fonoaudióloga Aline Gomes de França é enfática: “documentação do posto tem que ficar no posto. Muitos deixam no contador ou a empresa que presta algum serviço não entrega para o revendedor arquivar, é importante solicitar para que os documentos sejam entregues ao posto”, finaliza.

– Curso NR20:

A qualificação em NR 20 deve respeitar o que diz a norma: 16 horas (12 teóricas e 4 práticas) curso completo e 4 horas reciclagem e integração. O Cerest não considera válido certificados com carga horária inferior. Colaboradores da área de lavação, lubrificação e borracharia, mesmo que terceirizados e outras atividades anexas ao posto, também, devem possuir o curso de 4 horas. O colaborador deve receber o material informativo (livro) ao final da qualificação.

– NR 35:

Todos os profissionais que sobem no caminhão-tanque, incluindo gerente e proprietários, devem possuir o curso. Não são aceitos certificados EAD.

– PCMSO:

Conforme a Portaria 1.109 (Benzeno), os exames devem ser realizados semestralmente e os resultados anotados para acompanhamento. São exigidos o Hemograma completo com contagem de plaquetas e Reticulocitos independente de outros exames previstos no programa.

O Cerest orienta, ainda, que os postos disponham de banheiros e refeitórios em condições adequadas de utilização pelos funcionários, além da limpeza da caixa d’água, principalmente onde é utilizada a água da rede para consumo. O órgão também verifica o Procedimento Operacional Seguro e o Livro de Inspeção referente à manutenção do compressor de ar.

Benzeno

No segundo semestre de 2018 entram em vigor determinações impostas pela Portaria 1.109 que trata sobre a exposição do Benzeno nos postos de combustíveis. Entre as exigências está a obrigatoriedade do curso especifico.

Com duração de 4 horas, o SINDIPETRO/SC passa a oferecer em diferentes cidades do Estado a qualificação. O curso será ministrado pela engenheira Daniela Fachini e também pelo assessor de campo Agnaldo Correia. Conforme a Portaria, não é permitida qualificação à distância.

Para saber mais sobre as datas e locais do curso que passa a ser obrigatório entre em contato com o SINDIPETRO/SC através do 0800 474 474 ou atendimento@sindipetro.com.br.

Fale conosco
X