Sociedade

Utilização de EPI’s em postos de combustíveis
8 de fevereiro de 2015
Dezembro 2014 / Janeiro 2015
15 de maio de 2015

Sociedade

Compartilhar:

 

Por Claudia Regina Weber Almada

LOGO SEGS

O cumprimento da responsabilidade sócio-ambiental pela entidade, o destaque das ações voltadas para o desenvolvimento sustentável, assim como a análise do desenvolvimento social, incluindo a realização ou apoio a projetos sociais ou voltados para o desenvolvimento nacional, regional ou setorial, é o que o quarto critério SEGS analisa.

   No decorrer da existência humana, a visão de trabalho foi se alterando, delineando o perfil desejado para atender a sociedade. É preciso entender a visão histórica do que é trabalho, para que se trabalha e por que se trabalha, a fim de fazer uma análise do comportamento humano nas organizações. É preciso ter uma visão macro, para se evitar vieses que venham a distorcer a análise. Portanto, para entender o comportamento humano nas organizações, é preciso ter o entendimento do que é o trabalho.

   Conclui-se que trabalho é uma ação huma nizada exercida num contexto social, que sofre influências oriundas de distintas fontes, o que resulta numa ação recíproca entre o trabalhador e os meios de produção, portanto, os conhecimentos oriundos da Sociologia são fundamentais para explicar esses agrupamentos que se constituem em microssociedades, onde se desenvolvem comportamentos peculiares que fazem surgir novas crenças e valores, implicando em mudanças significativas nas condutas e reações dos grupos e dos indivíduos que os compõem.

   O trabalho, além do aspecto individual de autorrealização, é também fundamental para que se efetivem os processos de estratificação e mobilidade social. Nesse sentido, abordá-lo somente no aspecto trabalhador/trabalho é enveredar em uma visão simplista e ingênua. Assim como vê-lo somente sob a ótica psicológica também o é. É necessário enfatizar que o trabalho pode provocar diferentes graus de motivação no homem, desde ótimo a péssimo. Estar satisfeito não é sinônimo de estar motivado. O indivíduo entra na empresa e através das “trocas” sociais vai incorporando valores do grupo e da organização. As relações estabelecidas no ambiente de trabalho levam-nos a crer que a conduta é caracterizada por um conjunto de condicionamentos e aprendizados que afetam sistematicamente as interações sociais e profissionais. As experiências vivenciadas fora da empresa, a classe social e a categoria profissional a que pertence, também fornecem elementos comportamentais importantes para a ação do indivíduo. Nesse sentido, Araújo (1985), afirma que a ação do homem é o resultado de suas vivências sociais desde o nascimento, que irão interferir na formação de seu caráter, bem como de sua personalidade. A forma de expressão do poder não é o único vilão que ge5---SOCIEDADEra insatisfação; é preciso rever a satisfação do cargo, a valorização do trabalho e, além de social, considerarmos o homem como ser político.

O homem como ser social, ser de relações sociais, está em permanente movimento, está sempre se transformando, apesar de aparentemente manter-se igual. O mundo interno alimenta-se de conteúdos do mundo externo, como as relações com o trabalho. Para entendermos esse homem, não podemos limitar-nos a falar de papéis sociais, atitudes, percepção. É preciso considerar novos conceitos como: atividade (forma de apropriação do mundo), consciência (forma como se relaciona com o mundo objetivo) e identidade.

   No que se refere à Responsabilidade Social, o lucro é o foco principal da empresa, no entanto verificam-se fortes tendências para que as empresas valorizem os valores éticos, com respeito aos seus colaboradores, protegendo o meio ambiente e assumindo compromisso com as comunidades. Esses compromissos são firmados através de projetos sociais que atendam uma determinada necessidade da sociedade. Não só as empresas, mas também os gestores que incentivam seus funcionários a se preocuparem com a responsabilidade social são percebidos como sendo mais responsáveis e idôneos, trazendo maior identificação entre empresa e seus colaboradores e, também, com o público externo. O líder, em seu papel no planejamento estratégico, torna-se essencial exemplo de comportamentos, atitudes e ações em equilíbrio para a empresa e a sociedade.

X